quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

SEGURANÇA PÚBLICA: OBRIGAÇÃO DO ESTADO, DIREITO DO CIDADÃO
Assim estar escrito na Constituição da Republica do Brasil

Vertentes situa-se dentro do nosso imenso Brasil, para tanto, carece de prevenção e repressão aos crimes ocorridos dentro da comunidade. Tendo o estado democrático através das suas instituições prover todo esforço concentrado com esta finalidade específica. A nossa cidade vem ao longo dos anos alcançado um desenvolvimento em todos os patamares, nunca visto na região, trazendo para si muitas melhorias e conquistas aos olhos de todos, valendo salientar, que no bojo de tudo isto , atraímos e produzimos os que margeiam os homens e mulheres obreiros das suas sustentabilidades e condutas inibadas.

Romero Leal
A região do polo da confecção estar afetada, pois, não se trata apenas da nossa querida Vertentes, de quadrilhas de narcotraficantes, que provocam consequências irreparáveis no nosso ambiente social, alastrando o crime organizado e desorganizado com sequelas malditas e irreversíveis. A droga ilícita usada por nossa juventude dependente, resulta crimes diversificados contra o patrimônio e a vida de todos, como é o caso flagrante, valendo salientar, que tudo isto ocorre hoje em nossa cidade, antes pacata! Como foi dito, porque os clientes das drogas bancam a ponta de toda esta engrenagem criminosa. Se vertentes e região não consumisse tais produtos através dos seus jovens, nada disto estaria ocorrendo a luz do dia e das caladas da noite, com outras palavras, se não existisse o cliente final, o comerciante marginal e desumano não se estabeleceria para tanto. Digo sem medo de errar, 80% dos crimes hediondos praticados no Brasil como um todo, tem as suas causas originadas no comercio ilegal de drogas ilícitas, contaminando os nossos juvenis. A porta de retorno de um dependente químico se torna cada vez mais estreita para o seu retorno social e familiar, isto dentro das diversas camadas sociais dos Pais, abrangendo para tanto, o rico e o pobre. O Estado Policial faliu, tanto em Vertentes como região, chegamos ao fundo do poço, não estar ocorrendo a prevenção criminal, através do aparato policial ostensivo, nem tão pouco, a necessária investigação a posterior por parte da policia judiciária competente, consequentemente, os Promotores de justiça não denunciam os crimes, nem tão pouco os imputados serão julgados, culminando com a lei do gatilho impositivo a todos.

Temos, batido as portas dos comandos das instituições policiais e ouvimos uma única resposta, não dispomos de efetivo policial, as delegacias da capital estão desprovidas de pessoal, os batalhões da PMPE também, pergunta-se oportunamente , que fazer? Os policiais que restam em atividade alegam declaradamente que estão desmotivados, que fazer? Em estado de greve, como recentemente declarado. O governo Federal faz propaganda na mídia propagada que desarma a população, mais não prover a sua segurança cidadã, deixando à população desarmada para o bandido que nunca precisou de portes de armas para usufruto dos efeitos do uso ilegal das armas, Que fazer? Amigos e companheiros da nossa ex-pacata cidade, como tem sido divulgado pelas vitimas sucessivas dos ataques sórdidos destes delinquentes, os quais para pagarem suas dividas aos traficantes e boqueiros de drogas agridem seus próprios familiares e o povo em geral. Vamos nos reunir pelo menos em Vertentes, para o combate necessário, denunciando e convencendo o nosso jovem a não se contaminar, deixando de atrair a droga para sua vida, pois, somos as vitimas do atual sistema em ebulição. 

Usaremos para tanto as igrejas da cidade, seus gestores eclesiásticos, as escolas e a sociedade civil, com meios de comunicação disponíveis , para prevenir e denunciar o descaso policial da nossa região do polo da confecção. Vamos denunciar em conjunto os traficantes e tratar dos viciados e dependentes de forma sadia. Vamos as ruas combater este flagelo instalado na cidade e região, agregar os Prefeitos e vereadores nesta luta pela sobrevivência da dignidade das pessoas de bem. Digo uma coisa para todos enfim, vocês não estarão sozinhos, na alegria e na tristeza, estaremos juntos pra chorarmos e rirmos enquanto estivermos em Vertentes !!  Confiem em Deus, ele será sempre mais para todos!!
                                                        

                                                 ROMERO LEAL FERREIRA

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Crime bárbaro /


MULHER SE MATA APÓS ASSASSINAR FILHAS EM QUARTO DE MOTEL


R7*

Uma das crianças tinha quatro anos e a outra dez meses.

A Polícia Civil considera solucionado o assassinato de duas crianças e o suicídio da mãe em um motel em Itabira, na região central de Belo Horizonte, neste domingo (11). O exame dos corpos mostra que as crianças teriam sido mortas por asfixia logo que a mãe entrou no quarto.

Anna Flávia Marques Teixeira, de 34 anos, ficou no motel com os corpos das filhas por seis horas, até que aplicou o calmante Clonazepam em si própria com uma agulha e, em seguida, se enforcou com uma corda. Nesse tempo, pediu comida e sais de banho.
O delegado Juliano Alencar, titular da delegacia de homicídios de Itabira, explica que a mais velha deve ter sido morta primeiro.

— O legista concluiu que a causa das mortes foi asfixia, mas não por esganadura, já que não havia marcas de lesões. Ela pode ter usado um travesseiro ou cobertor para isso, mas não diretamente as mãos. Pela situação, as meninas estariam mortas há 24 horas, então ela teria matado primeiro a mais velha, que poderia reagir, e depois a menor. E depois ficou no quarto por mais seis horas, quando pediu o espetinho, a caipivodka, o suco e os sais de banho.

Os policiais encontraram um frasco do calmante no carro da suspeita, além de uma seringa no quarto.
— Dentro do veículo estava o vidro do Clonazepam, e a tampa foi recolhida dentro do quarto. No corpo da Anna Flávia havia marca de aplicação de agulha. Ela não aplicou nas meninas, mas pode ter dado via oral. Isso só o exame toxicológico pode dizer. O que também mostra que o crime foi premeditado é que ela se enforcou em uma corda que levou para o motel.

A enfermeira deixou um bilhete culpando o ex-marido e gravou um áudio de Whatsapp se dizendo ameaçada.

A disputa pela guarda das filhas, Maria Fernanda, de 4 anos, e Anna Sofia, de nove meses, foi parar na Justiça, que decidiu em dezembro deixá-las com o pai. Segundo o delegado, a mãe foi acusada de alienação parental, por impedir as visitas do pai.
— Há acusações de todas as partes, de que ela ameaçava reataliar caso perdesse a guarda das filhas, e tentava punir o ex-marido pela ausência de contato com as crianças. Por isso perdeu a guarda por alienação parental.


Perda de guarda
Ela não mantinha contato com a família desde dezembro, quando recebeu a notícia de que perdeu a guarda das crianças. Anna Flávia era enfermeira, mas trabalhava como motorista de caminhão-pipa na Prefeitura Municipal de João Monlevade.

Uma colega de trabalho, Célia Marta, funcionária da garagem da prefeitura, afirma que Anna Flávia era reservada.

— Ela não se abria, não contava essas coisas. Trabalhava normalmente, pegava o caminhão de manhã e saía, quase não parava aqui. Ela não parecia ter nenhum distúrbio, vai saber o que se passava.


Verão /

EM DIAS MUITO QUENTES, DEVEMOS BEBER PELO MENOS 3 LITROS DE ÁGUA

*G1

A água é absolutamente essencial para a vida. Somos capazes de aguentar mais de uma semana sem ingerir alimentos. Mas não aguentamos mais de três dias sem água. Dá para imaginar que nosso organismo tem aproximadamente 60% (adultos) e 75% (bebês) de água? Isso mesmo. Há muita água dentro de nós! É importante saber que essa água toda não fica parada. Ao contrário. Cicla e recicla. Sai para fora do corpo, mas necessariamente tem que voltar, para manter nosso equilíbrio hídrico, essencial à sobrevivência.
Por isso, temos que tomar muita água ao longo do dia. Vamos entender como tudo isso funciona, principalmente, nos dias quentes. A água participa de vários processos fisiológicos. Só para lembrar alguns exemplos, é um componente essencial do sangue, dos sucos digestivos, da urina, do suor, da saliva, do líquor que protege o sistema nervoso central, dos ossos, das articulações e outros tantos mais. Além disso, tem funções bem definidas e fundamentais à vida como regular a temperatura do corpo.
Em dias quentes, ou quando praticamos exercícios, colocamos o calor para fora transpirando muito mais.Em um dia normal, eliminamos uma média de 2,5 litros de água. Esta água é “perdida” na urina, fezes, pele e respiração. Nos dias mais quentes, transpiramos mais. Por isso, dependendo da intensidade do calor, podemos perder até 3,5 litros por dia. A prática de exercícios prologados, intensos, com duração maior que 1 hora, podem nos fazer perder até 6 litros de água por dia ou mais.
Toda essa água que se perde deve ser reposta. Por isso é que, em condições de temperatura normais, recomenda-se uma média de 2 litros de água por dia, pelo menos. Em dias muito quentes, devemos tomar pelo menos 3 litros por dia. E se fizermos esportes vigorosos, ainda mais no calor, devemos repor até 6 litros por dia. Claro que essas são quantias aproximadas, que servem como parâmetro geral. Mas cada um deve sentir suas necessidades individuais de água e respeitar o que o próprio organismo pede – para mais ou para menos.
A água também está contida em vários alimentos. Nos dias quentes, tendemos a preferir alimentos como as frutas que têm mais água, como uma melancia geladinha, não é mesmo? Vale lembrar que crianças pequenas e alguns idosos não têm condições de manifestarem sede. É sempre importante que os cuidadores lembrem de lhes oferecer água com frequência, ao longo do dia. Não devemos desperdiçar água. Mas devemos beber muita água, principalmente no verão.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Saúde / Descaso

GRÁVIDA PERCORRE MAIS DE 150 KM PARA PARTO E PERDE O BEBÊ, NO INTERIOR DE PE

Mulher foi a unidade de Arcoverde, Sertão, e de Buíque e Caruaru, Agreste.
Feto foi expelido em um hospital do Recife; família fala em negligência.

Hospital Maternidade Jesus Nazareno, em Caruaru, Pernambuco (Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)
Hospital Maternidade Jesus Nazareno, em Caruaru
(Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)
Uma mulher de 35 anos estava grávida de nove meses e percorreu várias cidades do interior de Pernambuco para ter o bebê, mas o perdeu na madrugada deste sábado (10). Na última quinta-feira, ela saiu com contrações do povoado Carneiro, em Buíque, no Agreste, e foi para o Hospital Regional Rui de Barros Correia, em Arcoverde, no Sertão, de onde foi encaminhada de volta à terra de origem por falta de médico, de acordo com a família. Em uma unidade de Buíque, ficou sob observação de quinta até a sexta, segundo a tia dela, Julieta Matias.


A cunhada, Aliciane Tenório, acompanhou-a. "Eles pegaram e falaram assim: 'Vai ter que ser transferida porque os batimentos cardíacos [do bebê] já não estão com frequência normal, está batendo fraco", contou. A grávida, então, foi encaminhada novamente para o Hospital Regional de Arcoverde e esta unidade a direcionou para o Hospital Maternidade Jesus Nazareno, situado em Caruaru, no Agreste, completando um percurso de mais de 150km. Neste município, Aliciane Tenório afirma que aguardaram até a manhã deste sábado por uma ultrassonografia, que detectou a morte.
Julieta Matias afirma que a sobrinha era acompanhada, "fazia consulta [pré-natal] todo mês" e não ouviu falar em gravidez de risco. A família culpa unidades de saúde por negligência. "Perdemos uma vida. A mãe esperou nove meses pra nascer, a família toda esperou nove meses pra nascer e olhe aí como é que é. E, agora, está correndo risco a mãe também", diz a cunhada. Segundo o marido da grávida, Roberto Gil Barbosa, a mulher teve febre, em Caruaru, e depois de receber uma senha, foi transferida para um hospital do Recife, onde o feto foi expelido naturalmente. Ela aguarda alta médica.

Informações dos hospitais
A assessoria de imprensa do Hospital Regional de Arcoverde comunicou que, pela gravidade do caso e pela suspeita de o bebê estar morto, a grávida foi encaminhada ao Hospital Maternidade Jesus Nazareno, referência para estes casos no interior. Sobre a falta de médicos, a assessoria de imprensa destaca que a informação será investigada pela direção da instituição. Já o departamento de comunicação da unidade de Caruaru informou que não há médicos em plantão de 24h e que, mesmo a mulher tendo chegado na madrugada, às 3h16, o exame de ultrassonografia só começa a ser realizado às 8h.
O G1 conseguiu contato com a diretoria da Maternidade Alcides Cursino, em Buíque, que relatou os procedimentos. "Como a paciente é de um sítio longe, a família pediu para ela ficar em observação, na tarde da quinta. Na sexta pela manhã, por volta das 5h, o quadro começou a evoluir, com trabalho de parto e dilatação. Em momento algum houve sofrimento fetal. Entre 22h e 23h, o coração começou a ficar fraco e de imediato a mulher foi encaminhada para Arcoverde. Eles [funcionários do Hospital Regional] disseram por telefone que o hospital estava 'fechado' [para atendimentos], mas, quando o técnico chegou e resolveu entrar, viu que uma médica tinha chegado. Foi quando fizeram a ausculta e o encaminhamento para Caruaru", afirma a direção.

Do G1

domingo, 11 de janeiro de 2015

Insegurança /



SÉRIE DE ASSALTOS NA ZONA RURAL DE VERTENTES PREOCUPA MORADORES
Durante a fuga, elementos caem e abandonam moto e revolver calibre 38.
 
Uma onda de assaltos que se espalhou por toda região do Agreste Pernambucano, vem preocupando moradores do pacato município de Vertentes.
A cidade vem sofrendo com os constantes roubos, assaltos e invasão domiciliar ocorridos nos últimos meses. Atualmente, são moradores da zona rural que não aguentam mais viver preso dentro de casa convivendo diariamente com o medo e a insegurança.
Segundo informações da PM, durante a manhã deste sábado (10), elementos armados, assaltaram um mercadinho de compras que fica no sítio Riacho Direito. Durante a fuga, os indivíduos caem e abandonam moto em que estavam seguindo a pé. No local da queda acabaram deixando cair um revólver calibre 38, usado para praticar os furtos.
Insatisfeitos, minutos depois, praticaram outra ação, invadindo uma residência, onde idosa e criança foram feitas de refém. Ninguém se feriu. O caso foi registrado na delegacia de polícia e ninguém foi preso.
                          
Por Fernando Barbosa